Desempenho financeiro

GRI 103-2 GRI 103-3

Líder sul-americana na exportação de carne bovina in natura e seus derivados, e atuante também no segmento de processados, a Companhia está listada na B3 (Brasil, Bolsa, Balcão) e tem suas American Depositary Receipts (ADR) negociadas em mercado de balcão nos Estados Unidos (OTC), e assim conta com o programa da Nasdaq International. A seguir, são apresentadas suas informações financeiras e operacionais referentes a 2018, de acordo com as normas BR GAAP e do International Financial Reporting Standards (IFRS).

Em 2018, a Companhia registrou um fluxo de caixa livre, após despesas financeiras, despesas de capital e capital de giro, de R$ 752 milhões. O fluxo de caixa das atividades operacionais atingiu R$ 1,3 bilhão. A receita bruta foi de R$ 17,2 bilhões, uma receita recorde 33% superior a 2017.

No último ano, as exportações atingiram 62% da receita bruta, consolidando a Companhia como a maior exportadora de carne bovina da América do Sul, com uma participação de mercado de mais de 21% na região.

Os lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado de 2018 totalizaram R$ 1,6 bilhão, com margem Ebitda ajustada de 9,6%. Assim, a posição de caixa da Companhia ao final no ano era de R$ 4,4 bilhões, com a dívida líquida em R$ 6,1 bilhões, enquanto a alavancagem financeira, medida por meio do múltiplo dívida líquida/Ebitda dos últimos 12 meses, foi de 3,9x, resultado 1,1x inferior ao registrado no terceiro trimestre de 2018.

Em 20 de dezembro de 2018, a Companhia concluiu um aumento de capital privado que totalizou aproximadamente R$ 965 milhões. Com os recursos da operação, foi realizada a oferta de liquidação antecipada de seus títulos perpétuos, no montante de U$ 224,5 milhões, contribuindo para a redução de seu endividamento bruto.

Receita bruta por divisão

Com o objetivo de melhorar a comunicação com o mercado e facilitar o entendimento de suas áreas de negócios, a Companhia adotou, desde o resultado do primeiro trimestre de 2018, uma nova estrutura de divulgação de suas receitas segundo as áreas de atuação, conforme se pode observar a seguir.

Divisão Indústria Brasil

Em 2018, a receita bruta da Divisão Indústria Brasil atingiu R$ 7,5 bilhões, resultado 8,5% superior ao apurado em 2017.

Mercado externo

O mercado externo foi responsável por 65,9% da receita bruta em 2018. As exportações geraram uma receita de R$ 4,927 bilhões à divisão em 2018, ficando 13,3% acima do ano anterior.

Os principais mercados para a Divisão Indústria Brasil em 2018 foram a Ásia e o Oriente Médio, que responderam respectivamente por 27% e 25% do total exportado. A evolução da receita das exportações da divisão, por região, pode ser conferida a seguir.

• África: Em 2018, a participação da África nas exportações da divisão apresentou aumento de 2 p.p. em relação ao ano anterior, respondendo por 16% do total exportado.

• Américas: Do total das exportações da divisão, as Américas responderam por 15% em 2018, um incremento de 7 p.p. quando comparado com 2017. O aumento se explica pelo maior direcionamento para o mercado chileno e argentino no decorrer do ano.

• Ásia: Em 2018, a participação da Ásia nas exportações da divisão foi 5 p.p. superior à do ano anterior, e a região foi responsável por 27% de suas exportações, tornando-se assim seu principal destino.

• Comunidade dos Estados Independentes (CEI): A participação da CEI, representada principalmente pela Rússia, nas exportações da divisão foi de 2% em 2018, o que configura uma redução de 7 p.p. em relação a 2017. Vale lembrar que em dezembro de 2017 a Rússia bloqueou as importações de carne bovina do Brasil, o que foi revertido apenas em outubro do ano seguinte.

• Europa: A Europa foi o destino de 15% das exportações da divisão em 2018, uma alta de 2 p.p. na comparação com 2017.

• Oriente Médio: Segundo maior mercado em 2018, o Oriente Médio respondeu por 25% das exportações da divisão, o que configurou uma queda de 7 p.p. em relação ao ano anterior. Alguns cortes consumidos por essa região foram redirecionados para o mercado asiático.

Mercado interno

Em 2018, o mercado interno foi responsável por 34,1% da receita bruta da Divisão Indústria Brasil. Na comparação entre os anos de 2018 e 2017, houve estabilidade de desempenho, traduzida em uma receita bruta de R$ 2,554 bilhões, 0,4% superior à de 2017.

Vale ressaltar que o primeiro semestre do ano, além do desempenho inferior por efeito sazonal, acabou sendo impactado pelas condições adversas impostas pela greve dos caminhoneiros, ocorrida em maio, que teve um impacto de redução de abate. Contudo, o desempenho positivo verificado no segundo semestre acabou por mitigar tal efeito. Os principais fatores que impulsionaram as vendas do mercado interno em 2018 foram a otimização do modelo de distribuição, com o aumento da capilaridade e foco em mercados mais resilientes; o aumento da confiança e do poder de compra do consumidor local, efeito do início da retomada econômica no Brasil; e o efeito sazonal positivo decorrente das férias e festas de final do ano.

Athena Foods

Em 2018, a receita bruta da Divisão Athena Foods, que compreende as operações das unidades produtivas na Argentina, Colômbia, Paraguai, Uruguai e da distribuição no Chile, somou R$ 6,907 bilhões, resultado 81,4% superior ao apurado em 2017.

Mercado externo

Em 2018, o mercado externo foi responsável por 72,3% da receita bruta da Divisão Athena Foods. Esse desempenho se traduziu em uma receita bruta de R$ 4,994 bilhões no ano, resultado 87,8% acima daquele alcançado em 2017.

Ao longo do último ano, as exportações da Divisão Athena Foods foram impactadas principalmente pelo desempenho positivo da Argentina – que retomou as exportações para importantes mercados, como China, Europa e Estados Unidos – e do Paraguai – cujas exportações apresentaram grande aumento, principalmente para a Rússia, efeito do embargo deste país às exportações brasileiras.

A seguir, é possível ver em detalhes a evolução da receita das exportações da divisão, por região, entre 2017 e 2018.

• África: Em 2018, a participação da África nas exportações da divisão apresentou queda de 2 p.p., comparado a 2017, respondendo por 1% do total exportado.

• Américas: Do total das exportações da divisão, as Américas tiveram participação de 19% em 2018, um decréscimo de 11 p.p. em relação a 2017. O resultado é reflexo do maior direcionamento para o mercado russo, com redução do foco no mercado chileno.

• Ásia: Em 2018, a participação da Ásia nas exportações da divisão apresentou forte alta, de 10 p.p. na comparação com 2017, sendo responsável por 36% do total exportado, o que fez da região o principal destino de suas exportações.

• CEI: A participação da CEI, representada principalmente pela Rússia, respondeu por 22% das exportações da divisão em 2018, 16 p.p. mais do que em 2017. Como já explicado, com a suspensão das importações de produtos provenientes do Brasil por parte da Rússia, a demanda deste país foi direcionada para a Divisão Athena Foods, sobretudo para as plantas paraguaias.

• Europa: As exportações para a Europa responderam por 12% do total exportado pela divisão em 2018, um desempenho estável na comparação com 2017.

• Região do Tratado Norte-Americano de Livre Comércio (Nafta): Em 2018, a região do Nafta respondeu por 5% das exportações da Divisão Athena Foods, o que representa uma queda de 4 p.p. na comparação com o ano anterior.

• Oriente Médio: O Oriente Médio foi responsável por 5% das exportações oriundas da Divisão Athena Foods em 2018, uma queda de cerca de 9 p.p. em relação a 2017.

Mercado interno

O mercado interno respondeu por 27,7% da receita bruta da Divisão Athena Foods em 2018. Assim, a divisão obteve uma receita bruta de R$ 1,914 bilhão no ano, resultado 66,7% superior ao de 2017, um desempenho 3,3% superior ao do mesmo período em 2017.

Merece destaque nesse resultado a linha de processados, que em 2018 atingiu receita bruta de R$ 630,6 milhões, cerca de três vezes mais do que em 2017. Para alcançar esse desempenho positivo, foram fundamentais a otimização na distribuição do mercado interno, buscando capturar a expansão do segmento de food service, bem como a arquitetura das marcas em mercados de nicho e a expansão do portfólio de produtos.

Divisão Trading

No último ano, a receita bruta da Divisão Trading – que compreende os resultados dos segmentos de gado vivo, trading de proteína e de energia, e revenda de terceiros – atingiu R$ 2,838 bilhões, resultado 24,4% superior ao do ano anterior.

Mercado externo
Em 2018, a Divisão Trading obteve do mercado externo 26,6% de sua receita bruta, o equivalente a R$ 755,7 milhões.

Mercado interno
O mercado interno foi responsável, em 2018, por 73,4% da receita bruta da Divisão Trading em 2018. As vendas da divisão no mercado doméstico atingiram R$ 2,082 bilhões no ano, um incremento de 23,3% ante 2017.

Divisão Trading

2018, a receita bruta atingiu R$ 2,838 bilhões
24,4% superior a 2017

O mercado interno foi responsável em 2018 por 73,4% da receita bruta

Athena Foods

2018, a receita bruta somou R$ 6,907 bilhões
81,4% superior a 2017

O mercado externo traduziu uma receita bruta de R$ 4,994 bilhões no ano, resultado 87,8% acima de 2017.

O mercado interno obteve uma receita bruta de R$ 1,914 bilhão no ano, resultado 66,7% superior a 2017.

Divisão Indústria Brasil

A receita bruta da Divisão Indústria Brasil atingiu
R$ 7,5 bilhões,
resultado 8,5% superior ao apurado em 2017;

Mercado Externo:

As exportações geraram uma receita de R$ 4,927 bilhões à divisão em 2018, ficando 13,3% acima do ano anterior.

Mercado Interno:

Na comparação entre os anos de 2018 e 2017, houve estabilidade de desempenho, traduzida em uma receita bruta de R$ 2,554 bilhões, 0,4% superior à de 2017.

DESEMPENHO FINANCEIRO

2017
Fluxo de caixa livre de R$ 388,8 milhões. A receita bruta foi de R$ 13,0 bilhões, uma receita recorde 26,5% superior a 2016.

2018
Fluxo de caixa livre de R$ 752 milhões. A receita bruta foi de R$ 17,226 bilhões, uma receita recorde 33% superior a 2017.

Exportações atingiram 62% da receita bruta, consolidando a Companhia como a maior exportadora de carne bovina da América do Sul, com uma participação de mercado de mais de 21% na região.

PRINCIPAIS INDICADORES ECONÔMICOS

Receita líquida

  • R$ 16.214,9 milhões

2018

  • R$ 12.103,8 milhões

2017

  • R$ 14.033,5 milhões (proforma)

2017

EBITDA/Mg.EBITA

  • R$ 1.550,4 milhões / 9,6%

2018

  • R$ 1.265,8 milhões / 9,0%

2017

Bens de capital:

  • R$ 189,1 milhões

2018

  • R$ 1.386,1 milhões

2017

Posição de caixa:

  • R$ 4.397,0 milhões

2018

  • R$ 3.807,3 milhões

2017

Retorno sobre o capital investido

Dívida líquida / Ebitda LTM

Duration da Dívida (em anos)